Seguidores

COM JESUS É POSSÍVEL SER FELIZ E VENCER TODO DIA

Quantas vezes nos sentimos sem rumo e pensamos não ter com quem contar. Jesus é o nosso melhor amigo.
Quando conhecemos a Jesus e a Ele nos entregamos descobrimos uma vida completamente nova que está
disponível a todas as pessoas.
Este espaço é um convite para conhecer e praticar o que a Palavra de Deus nos ensina durante todos os dias da nossa vida.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

INCERTEZAS DO MUNDO NOS TEMPOS MODERNOS





Abrace sua insegurança!


Abrace sua insegurança!

Autor Isha - brasil@isha.com


Como podemos superar a sensação da insegurança em um mundo tão incerto? 

Como podemos encontrar a verdadeira estabilidade nas areias movediças dos tempos modernos? 


Na verdade, a segurança só pode ser encontrada onde sempre esteve: em nosso interior. Se alguma vez você se sentir inseguro, não rejeite essa sensação, pois isso só a fará mais forte. Se você não dá atenção a uma criança, ela lhe perseguirá, reclamando seu amor. Da mesma maneira, se você ignora uma parte sua, ela permanecerá no fundo da sua mente, como uma mentira que você pode esconder, mas nunca esquecer.

Dá medo confrontar aquelas partes suas que você julga: ao fazê-lo, você tem que admitir que a máscara que tem mostrado à sociedade é uma mentira. Você terá que deixar cair as muletas que usou para se sentir forte e por um momento duvidará da sua capacidade de caminhar sozinho. Mas se você quer ser livre da insegurança, este é um processo que você terá que enfrentar.

Antes de começar minha viagem de autodescoberta, a insegurança me limitava. Sempre me sentia tímida, mas como tinha uma ideia do que deveria ser, escondia minha fragilidade por trás de uma aparência valente e vivaz. Entretanto, por trás dessa fachada, eu tinha que conviver com a verdade. Todos nós fazemos isto de alguma maneira. Temos uma ideia de como devemos nos apresentar diante dos demais, mas enquanto dependermos das opiniões de um mundo mutável, viveremos com medo. A única maneira de superar este medo é tirando nossa carapaça, pois ainda que a tenhamos construído para nos proteger, ela terminou por se converter em nosso cárcere.

Este processo de autoaceitação é um ato de amor. É o melhor presente que você pode se dar. Seja amável: não se castigue por sentir-se inseguro, nem pelo que você percebe como seus defeitos. Se uma criança tem medo, você a castiga? Não, você a ama, fala com ela e a consola. No entanto, somos violentos conosco e implacáveis, não toleramos nossos erros. Para encontrar a segurança interna, devemos aprender a amar e a confiar em nós mesmos. Temos que aprender a aceitar todos nossos aspectos, não a partir de um lugar de resignação ou fracasso, mas sim amando nossa criança interior e vendo além dos aspectos que já não nos servem.

Quando você se dá conta de um aspecto seu que você está tentando ocultar, aproxime-se dele. Não continue cobrindo-o atrás das camadas da sua personalidade. Se você não sabe como enfrentar um novo projeto no trabalho, peça ajuda. Não sabote o resultado do seu projeto por medo de parecer indeciso. Se você tem um temperamento forte, abrace-o! Seu temperamento é um aspecto natural da sua humanidade, e se você aprender a amá-lo, poderá utilizar essa paixão para inspirar os que lhe rodeiam a ser mais. Achamos que o amor é doce e agradável, mas ele também pode ser forte: pode sacudir a passividade e a comodidade e convidar à ação. Ao reprimir sua cólera, você reprime também sua energia, sua paixão, suas qualidades de liderança.

Outra área na qual costumamos sentir insegurança é com respeito à nossa imagem corporal. De fato, vivendo na América do Sul tenho notado que os latinos parecem abraçar mais a seus corpos que outras culturas do ocidente. No Brasil, por exemplo, mesmo as mulheres com muita celulite vão à praia de biquini! Parece que não se importam, abraçam seus corpos como são, enquanto se se tratasse de uma Australiana ou norte-americana, é provável que preferissem tomar sol vestindo trajes de mergulho do que sair de biquini. Quanto mais cedo você reconhecer e aceitar os aspectos de seu corpo que não lhe agradam, mais cedo estará livre do desgosto. Embaixo da vergonha que sentimos por nossos corpos está o medo de não ser amado. Ao abraçar seu medo, reconhecendo-o pelo que é, a ilusão que você criou aí cai. E o que fica em seu lugar? O amor. Como nuvens tampando o sol, quando as ilusões passam, a luz brilha de novo. Enfrente seus medos com amor, não os rejeite nem os evite, se fizer isso, as nuvens tampando o sol se converterão em uma tempestade.

Nossas inseguranças se fazem mais evidentes quando as coisas não saem como queríamos. Quando isto acontece, a ansiedade se ativa e nossa necessidade de controle se faz mais evidente. Esta necessidade de controlar as pessoas e as coisas ao nosso redor reflete nossa insegurança interior. O amor confia e flui, o medo controla e resiste. Quando você sentir necessidade de controlar, olhe mais fundo. Por baixo dos pensamentos de preocupação você encontrará algo maior.

Quando uma pessoa experimenta a transformação interior e se converte em amor-consciência, o amor incondicional se transforma em uma força que brota de dentro. Então tudo flui para você e seu meio se inunda com esse amor. Com a força do amor, suas criações superarão suas expectativas. Você verá que na verdade nada nunca lhe faltou, que tudo está aqui e agora, pois ao se sentir completo internamente, tudo vem para você. Quando você está ancorado nesse espaço, você se converte no amor. Escolha o amor e ele chegará. Em vez de focar-se no que falta, foque-se em dar, dar sem limites. Aprendemos que tudo é limitado e este pensamento nos traz ansiedade e insegurança. Foque-se no amor e descubra a abundância ilimitada da criação. Convido-o a criar esta experiência interna, para encontrar a satisfação profunda dentro de seu coração.




Sobre o Autor

Isha
   

Isha é mestra espiritual reconhecida internacionalmente como embaixadora da paz. 
Criou um Sistema para a expansão da consciência que permite a auto-cura do corpo, da mente e das emoções. 
Site oficial www.isha.com.
  E-mail: brasil@isha.com

Nenhum comentário: