Seguidores

COM JESUS É POSSÍVEL SER FELIZ E VENCER TODO DIA

Quantas vezes nos sentimos sem rumo e pensamos não ter com quem contar. Jesus é o nosso melhor amigo.
Quando conhecemos a Jesus e a Ele nos entregamos descobrimos uma vida completamente nova que está
disponível a todas as pessoas.
Este espaço é um convite para conhecer e praticar o que a Palavra de Deus nos ensina durante todos os dias da nossa vida.

domingo, 31 de maio de 2015

O FUTURO DAS RELIGIÕES







15 previsões sobre o futuro

da religião no mundo



São Paulo – Um estudo do Pew Research Center, uma organização que conduz pesquisas independentes sobre diferentes temas e em escala global, procurou traçar um panorama sobre as religiões no mundo nos próximos cem anos.Para tanto, “The Future of World Religions: Population Growth Projections” contou com a ajuda de especialistas para investigar projeções demográficas de grupos religiosos (como budistas, cristãos, hindus, judeus, muçulmanos, além de religiões associadas a costumes tribais e também os chamados de “não filiados”, que incluem ateus e agnósticos) a partir de suas distribuições geográficas, taxas de fertilidade e mortalidade e padrões migratórios.Mas o Pew Research Center alerta: todas estimativas são baseadas em tendências atuais e levam em conta indivíduos se designam especificamente como parte de uma ou outra religião. “Agora, o que significa ser cristão, muçulmano ou judeu irá variar de pessoa para pessoa, de país para país e de década para década”.E como estará o mundo da religião nas próximas décadas? Confira nas imagens.


As religiões nas próximas décadas

São Paulo – Um estudo do Pew Research Center, uma organização que conduz pesquisas independentes sobre diferentes temas e em escala global, procurou traçar um panorama sobre as religiões no mundo nos próximos cem anos.

Para tanto, “The Future of World Religions: Population Growth Projections” contou com a ajuda de especialistas para investigar projeções demográficas de grupos religiosos (como budistas, cristãos, hindus, judeus, muçulmanos, além de religiões associadas a costumes tribais e também os chamados de “não filiados”, que incluem ateus e agnósticos) a partir de suas distribuições geográficas, taxas de fertilidade e mortalidade e padrões migratórios.

Mas o Pew Research Center alerta: todas estimativas são baseadas em tendências atuais e levam em conta indivíduos se designam especificamente como parte de uma ou outra religião. “Agora, o que significa ser cristão, muçulmano ou judeu irá variar de pessoa para pessoa, de país para país e de década para década”.E como estará o mundo da religião nas próximas décadas?

Confira nas imagens.

Um estudo produzido pelo Pew Research Center traçou um panorama sobre como será os próximos cem anos das maiores religiões.

Confira





A quantidade de muçulmanos no mundo irá quase que se equiparar ao número de cristãos (2,8 bilhões contra 2,9 bilhões) e 10% de toda a população europeia seguirá está religião.


Em 2050


A quantidade de muçulmanos no mundo irá quase que se equiparar ao número de cristãos (2,8 bilhões contra 2,9 bilhões) e 10% de toda a população europeia seguirá está religião.



Esta população de não filiados estará majoritariamente concentrada em países com baixas taxas de fertilidade, como na Europa ocidental, América do Norte, China e Japão.


Em 2050


Esta população de não filiados estará majoritariamente concentrada em países com baixas taxas de fertilidade, como na Europa ocidental, América do Norte, China e Japão.


Nos EUA, por exemplo, este grupo crescerá dos atuais 16% para 26% em 2050. Já na Europa, estas pessoas vão corresponder a 23% da população de todo o continente.


Em 2050


Nos EUA, por exemplo, este grupo crescerá dos atuais 16% para 26% em 2050. Já na Europa, estas pessoas vão corresponder a 23% da população de todo o continente.






Juntos, muçulmanos e cristãos vão corresponder a 69% da população mundial.

Em 2050


Juntos, muçulmanos e cristãos vão corresponder a 69% da população mundial.



É o cristianismo a religião que será a mais impactada pela perda de fieis. De acordo com a entidade, 40 milhões de pessoas se tornarão cristãs, mas 106 milhões de pessoas deixarão de seguir esta fé.


Em 2050


É o cristianismo a religião que será a mais impactada pela perda de fieis. De acordo com a entidade, 40 milhões de pessoas se tornarão cristãs, mas 106 milhões de pessoas deixarão de seguir esta fé.


O grupo de não filiados ganhará 96 milhões de pessoas, enquanto que 36 milhões de indivíduos passarão a se designar como fiel de alguma religião;


Em 2050


O grupo de não filiados ganhará 96 milhões de pessoas, enquanto que 36 milhões de indivíduos passarão a se designar como fiel de alguma religião;




Quatro em cada 10 cristãos do mundo vão viver na África subsaariana.

Em 2050


Quatro em cada 10 cristãos do mundo vão viver na África subsaariana.



Cinco países (França, Macedônia, Nova Zelândia, Bósnia-Herzegovina e Holanda) deixarão de ter os cristãos como maioria. Em 2050, a maioria das pessoas na França não terão uma religião específica e o mesmo acontecerá na Nova Zelândia e na Holanda. Já na Bósnia-Herzegovina e na Macedônia, a maior parte das pessoas será muçulmana.


Em 2050


Cinco países (França, Macedônia, Nova Zelândia, Bósnia-Herzegovina e Holanda) deixarão de ter os cristãos como maioria. Em 2050, a maioria das pessoas na França não terão uma religião específica e o mesmo acontecerá na Nova Zelândia e na Holanda. Já na Bósnia-Herzegovina e na Macedônia, a maior parte das pessoas será muçulmana.


O país com o maior número de cristãos será os Estados Unidos, seguido do Brasil e da Nigéria.


Em 2050


O país com o maior número de cristãos será os Estados Unidos, seguido do Brasil e da Nigéria.




A única religião que não deve observar crescimento em seu número de fieis é o budismo. De acordo com a pesquisa, as baixas taxas de fertilidade em países como China, Japão e Tailândia serão as maiores causas desta estagnação.

Em 2050


A única religião que não deve observar crescimento em seu número de fieis é o budismo. De acordo com a pesquisa, as baixas taxas de fertilidade em países como China, Japão e Tailândia serão as maiores causas desta estagnação.


Custo diário: R$ 88,00Preço médio das passagens de ida e volta (a partir de São Paulo): R$ 4.399,73Por que o destino está na lista, segundo o Quanto Custa Viajar: Bali tem baixo custo de alimentação e atrações belíssimas com preços convidativos, ou até mesmo gratuitas, já que as praias e as paisagens formadas pelas plantações de arroz são atrações à parte e não exigem ingressos. Também é possível encontrar hotéis de quatro e cinco estrelas por 130 reais a diária. São preços que compensam a passagem aérea mais cara.


Em 2050


Já entre os hindus, o número de seguidores deve crescer 34% até 2050, atingindo a marca de 1,4 bilhão de pessoas.


A quantidade de judeus deve crescer apenas 16% nas próximas décadas. A expectativa é que o número de seguidores desta religião seja de pouco mais de 16 milhões.


Em 2050


A quantidade de judeus deve crescer apenas 16% nas próximas décadas. A expectativa é que o número de seguidores desta religião seja de pouco mais de 16 milhões.


O número de pessoas sem filiação religiosa deve cair. Segundo a análise, 16% das pessoas do planeta hoje se descrevem como ateias, agnósticas ou dizem não se identificar com nenhuma religião. Em 35 anos, este grupo corresponderá a 13% da população mundial.


Em 2050


O número de pessoas sem filiação religiosa deve cair. Segundo a análise, 16% das pessoas do planeta hoje se descrevem como ateias, agnósticas ou dizem não se identificar com nenhuma religião. Em 35 anos, este grupo corresponderá a 13% da população mundial.












Islamismo e cristianismo vão empatar: 32% da população do mundo será muçulmana e 32% será cristã.



Em 2070


Islamismo e cristianismo vão empatar: 32% da população do mundo será muçulmana e 32% será cristã.



Os muçulmanos desbancarão os cristãos e se tornarão a maior religião do planeta. O islamismo estará presente na vida de 35% das pessoas.


Em 2100


Os muçulmanos desbancarão os cristãos e se tornarão a maior religião do planeta. O islamismo estará presente na vida de 35% das pessoas.



FONTE:
                   

CIENTISTAS x DEUS







O que os cientistas pensam sobre Deus?



Charles Darwin (1809-1882)


"A impossibilidade de conceber que esse grande e maravilhoso universo, com nossos seres conscientes, se ergueu em meio a todas as improbabilidades, me parece o principal argumento para a existência de Deus."













Carl Sagan (1934-1996)


"A ciência não só é compatível com a espiritualidade; é uma fonte profunda de espiritualidade. Quando reconhecemos nosso lugar em uma imensidão de anos-luz e na passagem das eras, quando nos agarramos na complexidade, a beleza e a sutileza da vida, e depois aquele sentimento dolorido, o senso de elevação e humildade combinados é, certamente, espiritual... A noção de que ciência e espiritualidade são, de alguma forma, mutuamente exclusivas é um desserviço às duas."








Resultado de imagem para Francis Collins FOTOS




Francis Collins (1950-)


"A ciência é... uma forma poderosa, certamente - de estudar o mundo natural. Ciência não é particularmente efetiva... em fazer comentários sobre o mundo sobrenatural. Ambos os mundos, para mim, são bem reais e bem importantes. Eles são investigados de formas diferentes. Eles coexistem. Eles iluminam um ao outro."

-- Médico-geneticista americano e diretor do National Human Genome Research Institute














Max Planck (1858-1947)


"Não foi por acidente que os grandes pensadores de todas as épocas eram almas profundamente religiosas."

-- Físico alemão, famoso por seus trabalhos na teoria quântica














Erwin Schroedinger (1887-1961)


"Eu fico embasbacado que a imagem científica do mundo real em volta de mim seja tão deficiente. Ela dá um monte de informações factuais, coloca todas as nossas experiências em uma ordem incrivelmente consistente, mas é terrivelmente silenciosa sobre tudo o que está próximo de nosso coração, que realmente importa para nós. Ela não pode nos dizer uma palavra sequer sobre o azul e o vermelho, o amargo e o doce, a dor física e a delícia física; ela não sabe nada sobre o belo e o feio, o bom e o mau, Deus e a eternidade."

-- Físico austríaco, ganhador do Nobel em 1933














William H. Bragg (1862-1942)


"Da religião, vem o propósito de um homem. Da ciência, seu poder para atingi-lo. Às vezes as pessoas perguntam se a religião e a ciência não são opostas. Elas são: assim como o polegar e os outros dedos da minha mão são opostos. É uma oposição que pode agarrar tudo."

-- Físico, químico e matemático britânico, vencedor do Nobel em 1915














Richard Feynman (1918-1988)


"Deus foi inventado para explicar mistérios. Deus sempre é inventado para explicar aquelas coisas que você não entende."

-- Físico americano, vencedor do prêmio Nobel em 1965















Wernher Von Braun (1912-1977)


"Eu acho tão difícil entender um cientista que não reconhece a presença de uma racionalidade superior por trás da existência do universo quanto compreender um teólogo que nega os avanços da ciência."

-- Cientista de foguetes germano-americano















Nevill Mott (1905-1996)


"A ciência pode ter um efeito purificador na religião, libertando-a sobre crenças de uma era pré-científica e ajudando-nos a chegar a uma concepção mais verdadeira de Deus. Ao mesmo tempo, eu estou longe de acreditar que a ciência nos dará respostas para todas as nossas perguntas."

-- Físico inglês, vencedor do Nobel em 1977








FONTE:

BRASIL PRESS


CIENTISTAS DESCOBREM QUEM É DEUS













Podemos estar vivendo dentro de uma Matrix — e quem diz isso é um diretor da Nasa



Reprodução






      



    Diretor do Centro de Computação Evolucionária e Design Automotivo no Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa, Terrile acredita que podemos viver em uma simulação na qual o responsável pelo controle seria uma espécie que vive no futuro — e, inclusive, pode ser a própria raça humana.


    A teoria é complexa e cita a Lei de Moore, na qual se acredita que a evolução no processamento das máquinas permite que, em algum momento da história, seja capaz de se criar um simulador desse tipo.



    “Encontro uma grande inspiração nessa teoria e vou contar o porquê: ela me diz que estamos a beira de construir um universo simulado e que ele pode se tornar algo vivo dentro de uma simulação. E nossas simulações podem criar simulações. O intrigante é que, se existe um criador para nosso mundo no futuro e ele será nós, significa que ha um criador para nosso mundo e ele também é composto por nós. Isso significa que somos tanto Deus quanto servos de Deus”, afirma o cientista em entrevista ao site VICE.


    Para Terrile, a consciência é algo tão bem arquitetado e “mágico” que só pode ser fruto de uma simulação de computador. De acordo com ele, a consciência inclusive pode ser passada para uma máquina em até 30 anos através de engenharia reversa em nosso cérebro ou fazendo com que circuitos sejam evoluídos a ponto de chegarem em nossa velocidade de sinapse.


    Caso essas teorias se confirmem, segundo ele, a “Matrix” real é uma possibilidade que cresce.


    Apesar de parecer totalmente maluca, a teoria da “Matrix” real é corroborada por gente importante dentro do mundo acadêmico. Nick Bostrom, chefe do Oxford University Future of Humanity Institute, no Reino Unido, é um dos que levantam a bandeira proposta por Terrile.


    Para o cientista da Nasa, o simulador em questão cria a nossa realidade e simula o curso da humanidade por diversos motivos, “desde pura diversão até mesmo para recriar momentos históricos”. A máquina seria tão evoluída que é capaz de controlar todas as bilhões de pessoas que vivem no mundo sem que elas percebam.









    FONTE:

    Por | Yahoo Notícias – seg, 25 de mai de 2015

    FÉ: DATENA GERA MAIS POLEMICA





    Após Datena ofender ateus,

    Band tem de exibir vídeo

    sobre liberdade religiosa



    DATENA








    A Band deve exibir 72 vídeos falando sobre liberdade religiosa após um de seus principais apresentadores, José Luiz Datena, ter proferido declarações preconceituosas contra ateus.

    Os vídeos, que duram 40 segundos, são fruto de um acordo entre o Ministério Público Federal de São Paulo e a emissora paulistana, processada em 2012 por ferir direitos fundamentais na condição de concessionária de televisão.








    Entenda


    Em 2010, durante seu programa Brasil Urgente, Datena proferiu uma série de ofensas contra ateus. Ao narrar o fuzilamento de uma criança de dois anos em seu programa, o apresentador atribuiu o crime à "ausência de Deus".


    E aí veio uma avalanche de preconceitos, acompanhados de uma enquete que perguntava "Você acredita em Deus?".




    Veja com seus próprios olhos e chore comigo:
    "Esse é o exemplo típico de um sujeito que não acredita em Deus. Matou um menino de dois anos de idade. Essa gente é quem mata, enterra pessoas vivas, quem estupra, quem violenta nossas mulheres."
    "É por isso que o mundo está essa porcaria, guerra, peste, fome e tudo mais. São os caras do mal."
    "Quem não acredita em Deus não tem limite. Quem não acredita em Deus não respeita limite porque se acha o próprio Deus"


    Em 2013, o Ministério Público Federal moveu uma ação contra a Band em decorrência dos comentários.






    "O direito à liberdade de programação televisiva da Ré [a Band] também merece sua proteção, mas, de outro lado, não pode se esquivar da obrigação paralela de conviver harmoniosamente com (...) direitos fundamentais consagrados na Constituição Federal de 1988", relata a sentença do juiz federal Paulo Cezar Neves Junior, que determinou que a emissora deveria exibir uma série de conteúdos sobre liberdade religiosa determinados pelo Ministério Público.


    A Band recorreu da decisão, que estava tramitando na Justiça até hoje. Agora, finalmente será obrigada a exibir o vídeo, que ressalta que o país é laico.














    FONTE:


    Brasil Post  |  De


    Publicado: Atualizado:

    NOSSA PRINCIPAL HERANÇA



    NOSSA PRINCIPAL HERANÇA É AQUELA QUE NÃO É MATERIAL




    Thinkstock






    Dinheirinho imaterial








    Mas existe um outro tipo de herança que dispensa filas de cartório, escrituras, certidões, contendas familiares. Pessoal e intransferível, seu capital é imaterial, sua origem variada. Minha mãe herdou do avô, descendente de mouros, pratos decorados para pendurar na parede da sala. Hoje, aos oitenta e dois anos, mamãe volta e meia diz Eu amava meu avô Hieronides Tassiano Bellez.








    Pratos decorados para pendurar na parede são bens físicos, mas o gosto por eles extrapola a materialidade. Por conta do amor pelo avô, minha mãe desenvolveu talento para decoração. O que me faz pensar Heranças imateriais tem a ver com emoções. A troca de afetos entra a aluna e a professora de português pode produzir uma adulta zelosa do idioma. A admiração de uma criança pelo vizinho marceneiro, pode fazer nascer um designer de móveis.








    Meu amor pela palavra impressa surgiu do meu amor pelo meu pai que amava livros e jornais. Na atualidade, o objeto livro e o objeto jornal já não me interessam tanto. Hoje quando termino de ler, passo para frente. Não acumulo, não reverencio. A herança, no caso, é o meu amor pela leitura.  Esta já extrapolou o impresso, anda sassaricando por linhas digitais do computador, kindle, celular.








    Bem diferente das heranças materiais - que beneficiam famílias -, as imateriais beneficiam o coletivo. Brazucas somos herdeiros de um conglomerado de diversidades. Do samba e da bossa nova. Do gentil e do violento. Herdeiros de cinco Copas Mundiais e da derrota de 7 a 1 para os alemães. Também temos na coluna crédito, identidades poderosas: indígenas, europeias, africanas, japonesa. E outras recém-chegadas.








    Todos parágrafos acima são para concluir que uma pessoa, ou uma coletividade, pode ser curta de grana e rica de cultura. Oxalá, fazendo uso criativo e generoso do capital imaterial, poderemos até juntar riquezas. O ponto de partida é valorizar o que se herda e reinvestir seja no milhão, seja no amor.









    FONTE:


    Por | Mente Aberta – qui, 28 de mai de 2015

    Fernanda Pompeu


    Cronista nas horas vagas e de trabalho. Melhor dito, uma webcronista. No blog Mente Aberta, do espaço "Inspire-se", ela procura incentivar os leitores a pensarem e agirem fora das caixinhas. Isso porque inspiração, criatividade, insights e respeito às diferenças precisam de oxigênio para prosperarem.


    imagem: Régine Ferrandis



    SER MÃE





    Por que não estou com

    pressa de ter um bebê

    (apesar de querer muito)



                 


    AKIRAH ROBINSON
    Akirah Robinson








    Acho que estou me sentindo mais realizada do que jamais antes na vida, embora ainda faltem algumas coisas. Não me entenda mal: ainda tenho dificuldade em sentir contentamento. Sou perfeccionista que procura superar o perfeccionismo; quer dizer, para mim a vida nunca foi boa o suficiente. Eu mesma nunca fui boa o suficiente para mim. Até pouco tempo atrás.

    Quando eu estava na faculdade, tudo o que queria era me formar e arrumar emprego. Então, quando isso aconteceu, tudo o que eu queria era sair da casa de meus pais. E quanto isso aconteceu, eu estava louca para me casar.

    Quando o casamento não aconteceu na hora em que achei que deveria, meu mundo desabou. O único jeito que eu tinha de reconstruí-lo foi encontrar outras metas nas quais focar minha atenção.

    Então participei de uma corrida de dez quilômetros, fiz pós-graduação, viajei por todo o país e me mudei para meu próprio apartamento. Queria mostrar ao mundo, e a mim mesma, que eu ainda tinha tudo sob controle.

    Alcançar aquelas metas ajudou um pouco, mas não o suficiente para me deixar satisfeita. Em vez de relaxar e curtir a vida que eu estava criando, eu estava focada sobre o que estava faltando. E estava insatisfeita.

    Em outras palavras, não estava escolhendo o contentamento. Estava escolhendo tudo menos isso.

     Mais ou menos um ano atrás, decidi que eu não quero mais viver assim.
    Descobri o conceito da autocompaixão e optei por dedicar 2014 a incorporar esse conceito em minha vida. Os resultados estão sendo espantosos. Deixei de me impor pressão absurda para fazer mais, querer mais e esperar mais.

    Também aprendi muito sobre o contentamento.

    Hoje em dia, quando penso no contentamento, cinco coisas me vêm à cabeça:



    1. O contentamento significa gratidão.
    Muita gratidão. De preferência, todos os dias. Mesmo quando é difícil sentir gratidão. Aliás, especialmente quando é difícil.


    2. O contentamento quer dizer entender que a vida nunca será perfeita.
    Como o controle, a perfeição não passa de uma ilusão. Simplesmente não é real. E, quanto antes pudermos entender isso, melhor, porque poderemos parar de ficar fazendo uma força enorme para tentar alcançá-la.


    3. O contentamento quer dizer que podemos ter expectativas para o futuro, ao mesmo tempo em que aceitamos e valorizamos o presente.
    Ter expectativas para o futuro não é apenas normal, é bom. A esperança nos sustenta e nos motiva. Mas sabe o que não tem esse efeito? Desperdiçar nossas vidas, rejeitando o presente por sempre desejar que ele fosse diferente do que é.


    4. O contentamento significa saber que o caminho que percorremos é tão importante quanto nossas realizações.
    Eu gosto de alcançar minhas metas, como qualquer pessoa; mas, para falar a verdade, muitas vezes não são apenas as metas alcançadas que me fazem sorrir. Geralmente quando comemoro um trabalho bem feito, é porque me lembro de todo o trabalho que investi para realizar aquilo. Foi porque me forcei a fazer coisas árduas... e o esforço acabou rendendo frutos.


    5. Para concluir, o contentamento significa querer mais para sua vida, mas não exigir mais.
    É possível desejar mais para sua vida sem precisar empreender uma correria maluca para fazer isso acontecer. Na minha experiência, a vida não está muito preocupada com nossas prioridades, por mais que tentemos impô-las. O contentamento nos permite nos acalmar e curtir o perfume das rosas, em vez de só prestarmos atenção aos espinhos delas. Ser focado sobre metas é bom. Deixar que suas metas o consumam não é bom.

    Não acho que seja fácil alcançar o contentamento. Sei por experiência própria que, quando as coisas se complicam, a última coisa em que pensamos é o contentamento. Tenho amigos que enfrentam perdas, câncer, infertilidade, depressão e dificuldades financeiros. Seria um absurdo sugerir que eles simplesmente se alegrem e ignorem o sofrimento pelo qual estão passando. Em épocas de sofrimento, é normal querer se afastar de tudo. Quando as pessoas optam por manter pensamento positivo durante as fases difíceis, isso é muito bom, mas não é simples.


    Longe disso.

    Como estão as coisas em minha própria vida?

     Bem, neste momento, sinto o desejo de ter um bebê. Um bebezinho saudável, gordinho e risonho, uma garotinha que se pareça um pouco comigo e um pouco como seu pai. Algumas de minhas melhores amigas viraram mães, e, cada vez que olhos nos olhos de seus filhinhos, parece que meu útero chora um pouco. Se eu me permito pensar nisso por mais de cinco minutos, meu contentamento se esvai aos poucos.

    Traçar comparações com outros pode ser perigoso. E é tão fácil fazer isso!

    Por isso, procuro voltar minha atenção mais para minha abundância que para minha escassez.

    Dan e eu queremos um pouco mais estabilidade em casa antes de nos tornarmos pais. E, sem filhos, temos bastante energia e garra para trabalhar por isso. Nos domingos de manhã, nossa igreja fica cheia de bebês, e às vezes fico brincando de "cadê? Achou!" com alguns deles depois da missa. Uma amiga minha me pediu para cuidar de seu filho neste fim de semana, e concordei com a maior alegria.

    É claro que nada disso pode tomar o lugar de um bebê - do meu bebê, se eu algum dia receber essa bênção. Mas, de algum modo, apreciar o que eu realmente tenho suaviza um pouco o anseio por aquilo que ainda não tenho.

    Antigamente eu pensava que o contentamento é algo que chega quando a vida está indo "como deveria". Hoje, não tenho tanta certeza.

    Hoje, quando digo que estou contente, acho que é porque entendi que o contentamento é uma opção - e é a opção preferível.

    Minha vida está longe de perfeita, e ainda não realizei tudo o que espero realizar.

    Mesmo assim, estou começando a perceber que não preciso ficar infeliz por isso, mesmo quando a vida me desafia de maneiras inimagináveis.

    Por isso estou optando pelo contentamento.

    Não quero mais ser aquela garota que passa a vida fazendo mais, querendo mais e esperando por mais.

    Viver desse jeito nunca me fez feliz, e estou cansada de estar cansada. Então opto por me sentir grata, por viver o presente e sentir alegria.

     Só posso falar pelo dia de hoje, mas, por hoje, opto pelo contentamento.




    Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

    FONTE:
    BRASIL POST


    Coach de fim de relacionamento e Escritora

    Publicado: Atualizado:

    JOGO VIRAL





    'Charlie, Charlie':


    Novo jogo dos espíritos

    pode ser viral para

    promover filme de terror


         


    CHARLIE CHARLIE











    "Charlie, Charlie, você está aqui?"

    Nesta semana, diversos vídeos viralizaram nas redes sociais de pessoas fazendo o "jogo dos espíritos" da foto acima: chamar pelo espírito "Charlie", usando dois lápis em cruz sobre um tabuleiro desenhado em papel, com "sim" e "não" escritos, para a entidade se comunicar com os jogadores. (E a gente aposta que você brincou disso com seus amigos.)

    A brincadeira, que chegou a causar pânico em uma escola no Amazonas e fazer um exorcista do Vaticano declarar preocupação com a grande quantidade de pessoas tentando se comunicar com espíritos, no entanto, talvez seja publicidade viral para o filme de terror A Forca, cuja estreia está agendada para julho deste ano.

    Não acredita? A prova está aqui embaixo. O Twitter do longa postou:

    http://www.brasilpost.com.br/2015/05/29/charlie-charlie-voce-esta_n_7470064.html?ir=Brazil




    A febre da internet começou a ficar duvidosa quando a BBC decidiu investigar a origem dela.

    Segundo Maria Elena Navez, da BBC Mundo, não há uma entidade espiritual com o nome "Charlie" na cultura do México.

    Ela explicou: "Lendas mexicanas frequentemente vêm da história antiga dos astecas ou dos maias ou de várias crenças que começaram a circular durante a Conquista Espanhola.

    Na mitologia mexicana, você encontra nomes como 'Tlaltecuhtli' ou 'Tezcatlipoca' na língua náuatle.

    Mas, se esta lenda começou depois da Conquista Espanhola, tenho certeza de que se chamaria 'Carlitos'.

    Demônios mexicanos são invenções de americanos, geralmente".

    Você pode assistir ao trailer do A Forca abaixo:






    Pronto, você já pode ir dormir sem medo.












    FONTE:


    BRASIL POST







    Publicado: Atualizado: