Seguidores

COM JESUS É POSSÍVEL SER FELIZ E VENCER TODO DIA

Quantas vezes nos sentimos sem rumo e pensamos não ter com quem contar. Jesus é o nosso melhor amigo.
Quando conhecemos a Jesus e a Ele nos entregamos descobrimos uma vida completamente nova que está
disponível a todas as pessoas.
Este espaço é um convite para conhecer e praticar o que a Palavra de Deus nos ensina durante todos os dias da nossa vida.


ESCREVAM !!!!!!!!!!!!!!!!!

Estou abrindo espaço para você que deseja orientação através do e-mail: conhecerdeusnapratica@outlook.com;

que será respondido na publicação no blog zelando a identidade da pessoa que será chamada de amiga.

Com isso as pessoas poderão ter minha orientação e de todos que acompanham o blog, recebendo desta forma maior apoio para resolução de seus problemas.

ESCREVAM !!!!!!!!!!!!!!!!!

domingo, 30 de setembro de 2012

APRENDENDO A CRER

 

E tudo o que pedirdes em oração, crendo, o recebereis. (Mateus 21.22)
 
Esta é uma grande promessa feita pelo Senhor. Porém, aprender a crer não é tão fácil. Ter fé é não duvidar, mas acreditar nas promessas de Deus e tê-lO como fiel no cumprimento de Sua Palavra, independentemente das circunstâncias.
 
A Bíblia relata que Abraão desprezou as circunstâncias e creu na promessa (Romanos 4.16-21). É importante lembrar que a vontade de Deus jamais diverge de Sua Palavra. Podemos orar com confiança, certos de que aquilo que entendemos ser nosso – pela leitura da Palavra – nos pertence.
 
Orar não é dizer a Deus o que deve ser feito, mas comunicar a Ele as nossas necessidades e os desejos do nosso coração. É confiar que Ele sabe o que faz e que, certamente, irá responder-nos, em Seu tempo e da Sua maneira.
 
Cabe a nós, entretanto, pedir com fé, ou seja, confiando em Suas promessas.
 
Todo o restante Ele fará por nós!


Pr. Joseph Gomes

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

A MORTE DOS DISCIPULOS DE JESUS

A morte dos discípulos de Jesus

Conheça, segundo a história e a Bíblia, a morte de cada um dos discipulos do Senhor Jesus Cristo.















S

imão Pedro: segundo a tradição foi crucificado de cabeça para baixo;

André: segundo a tradição crucificado numa cruz em "X", que a partir daí levou o nome de "cruz de Santo André";

Tiago, irmão de João: decapitado (At 12:2);

Tiago: segundo a tradição crucificado no Egito;

Judas Tadeu: segundo a tradição martirizado na Pérsia;

Felipe: segundo a tradição morreu na Frígia;

Bartolomeu: segundo a tradição morreu esfolado;

Mateus Levi: segundo a tradição martirizado na Etiópia;

Tomé Dídimo: segundo a tradição transpassado por flechas;

Simão Zelote: crucificado;

Judas Iscariotes: suicidou-se após trair o seu Mestre (Mt 27:50);

João: segundo a tradição o único a morrer por morte natural depois de tentarem mata-lo mergulhando-o em óleo fervente.

"Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e nós devemos dar a vida pelos irmãos" I Jo 3:16.

------------------------------------------------------------------------------------

Outras fontes sobre o que aconteceu com os discípulos de Jesus:
Hipólito de Roma: Nascimento desconhecido, morreu por volta de 236 dC
Eusébio: Foi bispo de Cesaréia na Palestina, conhecido como o "Pai da História da Igreja", porque ele escreveu sobre a história da igreja. Viveu por volta de 260-341 dC

------------------------------------------------------------------------------------

- Judas: Nós todos sabemos o que aconteceu com ele ...

- André: De acordo com Hipólito, André pregou aos citas [moderna da Geórgia] e trácios [moderna Bulgária], e foi crucificado, suspensa sobre uma oliveira, em Patras, cidade da Acaia [Grécia], e lá também ele foi sepultado.

- Bartolomeu: De acordo com Hipólito, Bartolomeu pregou na Índia - Bartolomeu, mais uma vez, pregou para os índios, a quem também deu o Evangelho segundo Mateus, e foi crucificado com a cabeça para baixo, e foi sepultado em Allanum, uma cidade do grande] Arménia moderna [dia do sul da Geórgia.

- Eusébio, em sua História da Igreja, confirma o ministério de Bartolomeu, na Índia, e acrescenta uma testemunha ocular:
Sobre o tempo que, Panteno, um homem muito distinto para a sua aprendizagem, tinha o encargo da escola dos fiéis em Alexandria ... Pantaenus ... é dito ter ido para a Índia. É relatado que há entre as pessoas que sabiam de Cristo, ele encontrou o Evangelho segundo Mateus, que tinha antecipado sua própria chegada. Para Bartolomeu, um dos apóstolos, havia pregado a eles, e saiu com eles a escrita de Mateus em hebraico, que tinham preservado até aquele momento. ---- (Livro 5, capítulo 10)

- Tiago, filho de Alfeu: Hipólito identifica que Tiago foi apedrejado até a morte em Jerusalém.
E a Tiago, filho de Alfeu, ao pregar em Jerusalém, foi apedrejado até a morte pelos judeus, e foi sepultado ali ao lado do templo.

- Tiago, filho de Zebedeu: Tiago era irmão de João, o discípulo "que Jesus amava".
De acordo com o livro de Atos no Novo Testamento, Tiago foi morto por Herodes:
Ato 12:1 Naquele tempo Herodes, o rei atirou em suas mãos para oprimir alguns desses da igreja. Ato 00:02 e matou Tiago, irmão de João, com a espada.
Isto é confirmado por Hipólito: James, seu irmão, ao pregar na Judéia, foi cortado com a espada por Herodes, o tetrarca, e foi enterrado lá.
Eusébio descreve mais precisamente o que foi contado de Tiago:
Primeiro Estêvão foi apedrejado até a morte por eles, e depois dele Tiago, filho de Zebedeu e irmão de João, foi decapitado ... (Livro 3, Cap. 5)

- João, irmão de Tiago, filho de Zebedeu: João foi um dos poucos discípulos que não teve uma morte cruel, mas de "velhice".
Eusébio discute o motivo pelo qual João escreveu seu Evangelho:
"Mateus e João deixaram-nos memoriais escritos, e eles, diz a tradição, foram levados a escrever somente sob a pressão da necessidade ... E quando Marcos e Lucas já havia publicado seus Evangelhos, eles dizem que John, que tinha todos os seus empregados no anúncio do Evangelho por via oral, finalmente começou a escrever para o seguinte. razão O tempo de três Evangelhos já mencionado ter chegado às mãos de todos e para a sua própria também, dizem que ele os aceitou e deu testemunho de sua veracidade, mas que não faltava-lhes um relato dos feitos realizados por Cristo no início de seu ministério. " (Livro 3, Cap. 24)
De acordo com Hipólito, João foi exilado por Domiciano para a ilha de Patmos, e depois morreu em Éfeso:
João, novamente, na Ásia, foi banido por Domiciano o rei para a ilha de Patmos, na qual ele também escreveu seu Evangelho e vi a visão apocalíptica, e é hora de Trajano ele adormeceu em Éfeso, onde seus restos mortais foram procurados, mas não pôde ser encontrado.

- Mateus / Levi: Eusébio referenciado ao Bispo Papias de Hierapolis, tão cedo quanto c. 110 dC, dando testemunho da autoria de Mateus de seu evangelho:
... Mateus juntos os oráculos [do Senhor] em hebraico, e cada um interpretou-as como o melhor que podia. "(Eusébio, Livro 3, Capítulo 39)
De acordo com Hipólito:
Mateus escreveu o Evangelho na língua hebraica, e publicou-o em Jerusalém, e adormeceu em Hierees, uma vila de Pártia. \ 224 [Pártia está perto moderna Teerão]

- Simão / Pedro: Eusébio, citando Papias de Hierápolis (c. 110 dC), os registros de uma tradição que o Evangelho de Marcos preservada o Evangelho pregado por Pedro:
"Mark tendo-se tornado intérprete de Pedro, escreveu exatamente tudo que ele lembrava .... ele acompanhou Pedro ..." ---- (Livro 3, Capítulo 39)
Irineu (c. 180 dC) registra uma tradição similar, e menciona que Pedro e Paulo fundaram a Igreja em Roma:
"Mateus também emitiu um Evangelho escrito entre os hebreus, em seu próprio dialeto, enquanto Pedro e Paulo estavam pregando em Roma, e lançar as bases da Igreja. Após a partida, Marcos, o discípulo e intérprete de Pedro, fez também a mão para baixo nos por escrito o que havia sido pregado por Pedro ... " ---- (Irineu, "Contra Heresias", Livro 3, Capítulo 1)
Eusébio registra que Pedro foi condenado à morte por Nero em Roma:
É, portanto, registrou que Paulo foi decapitado em Roma, e da mesma forma que Pedro foi crucificado sob Nero. Esta conta de Pedro e Paulo é comprovado pelo fato de que seus nomes sejam preservados nos cemitérios daquele lugar até os dias atuais. ---- (Livro 2, capítulo 25) (Paulo era cidadão romano não pode ser crucificado, mas tenho uma frase "mais fácil" da morte)
Hipólito, confirmou o fato de que Pedro foi crucificado por Nero em Roma:
Pedro pregou o Evangelho em Pontus e Galácia, Capadócia, e Betânia, e Itália, e na Ásia, e depois foi crucificado por Nero em Roma com a cabeça baixa, como ele próprio tinha desejado a sofrer desta maneira.

- Philip: De acordo com Hipólito, Filipe pregou e foi executado no que é hoje a Turquia Oriental:
Filipe pregou na Frígia, e foi crucificado em Hierápolis com a cabeça para baixo no tempo de Domiciano, e foi enterrado lá.

- Simão, o Zelota: De acordo com Hipólito, Simão, o Zelote foi o segundo Bispo de Jerusalém;
Simão, o Zelote, filho de Cléofas, que também é chamado de Judas, tornou-se bispo de Jerusalém depois de Tiago, o Justo, e adormeceu e foi enterrado lá na idade de 120 anos.

- Tadeu / Judas, filho de James: De acordo com Mateus 10:03 (NVI): Filipe, Bartolomeu, Tomé, Mateus, o publicano, Tiago, filho de Alfeu, e Lebbaeus, cujo apelido era Tadeu ... Tadeu também é conhecido como Lebbaeus. Registros de Hipólito:
Judas, que também é chamado Lebbaeus, pregou ao povo de Edessa, Mesopotâmia e para todos, e adormeceu Berytus, e foi enterrado lá.

- Thomas: Hipólito registros que Tomé era um missionário ativo, e que ele encontrou seu destino na Índia:
E Tomé pregou aos partos, medos, persas, hircanianos, Bactrians e Margians, e foi através do impulso nos quatro membros do seu corpo com uma lança na Calamene pinheiros, a cidade da Índia, e foi enterrado lá.

Fonte: icrvb.com

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

ABAIXO A RELIGIOSIDADE

O Senhor detesta religiosidade, Ele esta atrás de verdadeiros adoradores.


Lucas 7:36-50
“36 E rogou-lhe um dos fariseus que comesse com ele; e, entrando em casa do fariseu, assentou-se à mesa. 37 E eis que uma mulher da cidade, uma pecadora, sabendo que ele estava à mesa em casa do fariseu, levou um vaso de alabastro com ungüento;
38 E, estando por detrás, aos seus pés, chorando, começou a regar-lhe os pés com lágrimas, e enxugava-lhos com os cabelos da sua cabeça; e beijava-lhe os pés, e ungia-lhos com o ungüento.
39 Quando isto viu o fariseu que o tinha convidado, falava consigo, dizendo: Se este fora profeta, bem saberia quem e qual é a mulher que lhe tocou, pois é uma pecadora.
40 E respondendo, Jesus disse-lhe: Simão, uma coisa tenho a dizer-te. E ele disse: Dize-a, Mestre.
41 Um certo credor tinha dois devedores: um devia-lhe quinhentos dinheiros, e outro cinqüenta.
42 E, não tendo eles com que pagar, perdoou-lhes a ambos. Dize, pois, qual deles o amará mais?
43 E Simão, respondendo, disse: Tenho para mim que é aquele a quem mais perdoou. E ele lhe disse: Julgaste bem.
44 E, voltando-se para a mulher, disse a Simão: Vês tu esta mulher? Entrei em tua casa, e não me deste água para os pés; mas esta regou-me os pés com lágrimas, e mos enxugou com os seus cabelos.
45 Não me deste ósculo, mas esta, desde que entrou, não tem cessado de me beijar os pés.
46 Não me ungiste a cabeça com óleo, mas esta ungiu-me os pés com ungüento.
47 Por isso te digo que os seus muitos pecados lhe são perdoados, porque muito amou; mas aquele a quem pouco é perdoado pouco ama.
48 E disse-lhe a ela: Os teus pecados te são perdoados.
49 E os que estavam à mesa começaram a dizer entre si: Quem é este, que até perdoa pecados?
50 E disse à mulher: A tua fé te salvou; vai-te em paz.”

Têm coisas na vida só queremos fazer se tiver sabor e tempero.
O pior é termos uma vida destemperada sem gosto.
Não tem vida pior que a vida de casado sem sal, viver do lado de uma forma que tanto faz como tanto fez sem mudança e variação passa a ser um convívio sem sal.
Nós gostamos de pessoas que fazem a diferença que transformam o dia comum em um dia especial e as coisas de Deus são assim.
Para Deus é preciso ter tempero, gosto, a rotina não agrada a Deus.
As coisas que são praticas de forma rotineira sem vida, sem amor não tem valor nenhum é apenas uma atitude sem sal e sem tempero.
Algumas religiões ao longo dos anos ficaram só a rotina, tem boa doutrina, costumes, mas não toca mais no coração das pessoas é sem sal e sem tempero.
Não surpreende mais a Deus é tudo igual nem parece um culto ao Senhor, ficou apenas a religiosidade.
O texto da palavra de Deus trata de um culto em uma casa, uma reunião que fora surpreendida por algo fora do normal, e por isso causou surpresa.
Algumas pessoas estão tão acostumadas com o trivial, e quando tem um tempero a mais elas não gostam.
E na maioria das vezes ficam murmurando e julgando aquele que surpreendeu o Senhor.
A vida é feita de expectativas e essas são individuais.
Quando alguém se casa o marido tem uma expectativa em relação à mulher e ela ao marido.
Deus também é assim Ele tem uma expectativa conosco.
Ele espera algo a mais de nós não fique oferecendo só o básico ao Senhor.
Deus espera que sejamos verdadeiros adoradores e é para isso que serve o culto.
O culto é o momento de adoração e louvor ao Senhor.
Você sabia que Deus não é solteiro?
O profeta Oséias disse que a esposa de Deus é Israel o povo de Israel.
Deus tem uma esposa.
Na relação desse esposo com a esposa sobra a adoração.
O culto são as núpcias um ato de amor dEle conosco e de nós com ele.
É hora que ele encontra a sua amada que é a igreja.
O amado com a amada a igreja.
E nesse encontro o Pastor esta derramando à semente que é a palavra de Deus.
A semente que vai gerar novas vidas e vai mudar a direção da nossa vida e produzir um novo tempo.
Parece uma visão estranha que culto é núpcias e por isso ele é tão importante.
Imagine um culto sem tempero é como um namoro de duas pessoas sem razão de fazer o momento de intimidade, fazer por fazer.
Tem gente que parece que esta junto com amada (o) é obrigação uma união destemperada.
Não há vida sem alegria sem amor e sem prazer e isso não é bom.
O Senhor detesta religiosidade, Ele esta atrás de verdadeiros adoradores.
Entenda que culto é surpreender a Deus.
Estar diante de Deus como um verdadeiro adorador.
Em Israel o culto não pode começar com menos de dez pessoas.
E por isso na casa desse fariseu colocaram a mesa no mínimo para dez pessoas.
Jesus quebrou isso quando Ele disse onde houver dois o mais reunidos em nome ali Eu estou no meio deles.
Mateus 18:20
Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.
Mateus “

Quando nos reunirmos com no mínimo de duas pessoas o culto estabelece e há presença do Senhor.
O que é o estabelecimento do culto?
É a descida de Jesus no meio do culto.
Aquele Fariseu vendo o Senhor Jesus levou para dentro de casa e achou oportuno estar ali com ele.
Os Fariseus eram uma das divisões do Judaísmo.
Os fariseus acreditam na ressurreição e os Saduceus não acreditam, eles não acreditam em vida após a morte, e acham que o julgamento é aqui na terra.
Tem muitos cristãos que pensam assim, aqui se faz aqui se paga.
Os Fariseus crêem na ressurreição, mas eles são muitos apegados a costumes, olho por olho dente por dentro.
E existem muitos cristãos que são Fariseus julgadores terríveis, levam as coisas na ponta da letra, como se eles não pecassem e não tivessem erros, se consideram perfeitos.
Aquele Fariseu leva Jesus para dentro da casa e coloca sobre uma mesa e começa um culto doméstico.
Como é bom fazer um culto doméstico, Jesus durante os seus três anos pregou para multidões e também para pequenos grupos.
Às vezes é importante que a palavra seja dada individualmente.
Os Judeus naquele dia usaram a mesa e sentaram para cultuar.
Porem os judeus fazia o culto com uma mesa no chão.
Durante sete dias no ano comem no chão porque querem lembrar-se de onde vieram e o que passaram para chegar aonde chegou.
É muito importante reunir a família e comer no chão, faça um piquenique e diga estamos comendo aqui para lembrar-se de onde nós viemos.
Quem não tem lembrança de onde veio, não tem lembrança das coisas de Deus.
Tem que ter na memória aquilo que Deus já lhe fez ser sempre agradecido a Deus.
Senão você ficará sempre cobrando de Deus mais e mais e nunca agradece o que já tem e acaba se tornando uma pessoa insatisfeita e ingrata.
Nunca fique insatisfeito com aquilo que tem o que Deus já lhe abençoou.
Quando entrar na tua casa, no teu carro, estiver com seus amados, desfrutar de uma boa saúde, quando for comer do alimento a mesa agradeça sempre a Deus.
Lembre-se de quanto Deus já fez na tua vida.
Agradeça a Deus por tudo que Ele já lhe fez.


Para ler a mensagem completa - CLIQUE AQUI!



Deus te abençoe!

Reserve um tempo para ele, e seja abençoado!

Deus te deu 24 horas no dia, então repasse essa mensagem para outras pessoas.

Vamos semear!

Culto: Pastor Jonas Góes

Ministério de Comunicação e Internet
>> Professor Gava<<


FONTE: Grupo Cristocentro3 - Google

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

ADIVINHAÇÕES x PROFECIAS BÍBLICAS

A diferença entre adivinhações e profecias bíblicas.

A adivinhação do futuro pode envolver puro e simples engano visando o lucro fácil.



"Temos, assim, tanto mais confirmada a palavra profética, e fazeis bem em atendê-la, como a uma candeia que brilha em lugar tenebroso, até que o dia clareie e a estrela da alva nasça em vosso coração" (2 Pe 1.19).


Profecias bíblicas se cumprem sempre, sem exceção. Por isso podemos ter absoluta confiança nelas. Mas quem confia em adivinhações está perdido!

Só uma coisa é certa a respeito das adivinhações de videntes, astrólogos e cartomantes: a cada ano se repete o fiasco da falha do seu cumprimento! Praticamente todas as previsões para 2003 foram falsas. O "Comitê Para a Investigação Científica das Alegações dos Paranormais" na Alemanha comparou 100 prognósticos com a realidade e verificou que as explicações posteriores dos adivinhos são completamente contraditórias em relação às previsões feitas. Muitos de seus prognósticos são formulados de maneira tão vaga que o exercício da futurologia nem se faz necessário, pois qualquer um de nós poderia fazer previsões semelhantes usando simplesmente a lógica e o bom senso. As previsões são tão genéricas que acabam acertando em algum detalhe. Dois exemplos: em dezembro de 2002 um astrólogo previu "iminente risco de guerra" para o Iraque.[1] O matemático Michael Kunkel (de Mainz/Alemanha), observou que uma declaração dessas, naquela época, equivalia a afirmar que o sol iria nascer na manhã seguinte. Relativamente a Israel, um dos prognósticos para este ano dizia: "Depois de sérios distúrbios, existe a tendência de que no final de 2004 haja um acordo de paz satisfatório, de modo a que ambas as partes tenham interesse em cumpri-lo". É quase impossível falar de maneira mais genérica. Mas é interessante observar como as pessoas, que nada querem saber da Bíblia, são enganadas rotineiramente e dão ouvidos a esse tipo de "profecia" vaga e superficial.

A adivinhação do futuro pode envolver puro e simples engano visando o lucro fácil. Por outro lado, além do interesse financeiro, a astrologia, por exemplo, tem origem espírita e ocultista, diretamente inspirada por Satanás e seus demônios. Seja como for, ela sempre é mentirosa, pecaminosa e de origem diabólica. O reformador Martim Lutero declarou, com razão: "O Diabo também sabe profetizar – e mente ao fazê-lo".

Em Deuteronômio 18.9-11 está escrito: "Quando entrares na terra que o Senhor, teu Deus, te der, não aprenderás a fazer conforme as abominações daqueles povos. Não se achará entre ti quem faça passar pelo fogo o seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; nem encantador, nem necromante, nem mágico, nem quem consulte os mortos". A Bíblia com Anotações de Scofield comenta a respeito:

As oito práticas anatematizadas para determinação do futuro são estas:
1. do adivinhador – os métodos são apresentados em Ez 21.21;
2. do prognosticador – possivelmente referindo-se à feitiçaria ou astrologia;
3. do agoureiro – aquele que usa prognósticos;
4. do feiticeiro – aquele que faz uso da magia, de fórmulas ou encantamentos;
5. dos encantadores – Sl 58.4-5;
6. de quem consulta um espírito adivinhante – veja o número 7;
7. do mágico, geralmente usado com o número 6 – Is 8.19 descreve a prática; e
8. do necromante – aquele que procura interrogar os mortos.
Duas coisas precisam ser mantidas em mente: 1) este mandamento tinha aplicações específicas a Israel que estava entrando na terra; foram feitas para preservar os israelitas das abominações dos seus predecessores (vv. 9, 12 e 14) e 2) para se perceber claramente o contraste entre esses falsos profetas e os profetas como Moisés (vv. 15-19).


Profecia bíblica

Vejamos as principais diferenças entre adivinhação e profecia bíblica:
A adivinhação faz afirmações vagas e genéricas e não esclarece os fatos. A profecia bíblica é a história escrita antes que aconteça. Ela parte do próprio Deus Todo-Poderoso, que tem uma visão panorâmica das eras e as estabeleceu em Seu plano divino. O profeta Isaías O engrandece: "" Senhor, tu és o meu Deus; exaltar-te-ei a ti e louvarei o teu nome, porque tens feito maravilhas e tens executado os teus conselhos antigos, fiéis e verdadeiros" (Is 25.1). O próprio Senhor afirma: "lembrai-vos das coisas passadas da antiguidade: que eu sou Deus, e não há outro, eu sou Deus, e não há outro semelhante a mim; que desde o princípio anuncio o que há de acontecer e desde a antiguidade, as coisas que ainda não sucederam; que digo: o meu conselho permanecerá de pé, farei toda a minha vontade" (Is 46.9-10).

A adivinhação interpreta algum tipo de sinal. A profecia bíblica não depende da nossa interpretação, mas se sustenta exclusivamente em sua própria realização.

As previsões de astrólogos são especulativas e deixam margem para muitas interpretações. A profecia bíblica acerta em 100% dos casos.

O apóstolo Pedro escreve: "Porque não vos demos a conhecer o poder e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo seguindo fábulas engenhosamente inventadas, mas nós mesmos fomos testemunhas oculares da sua majestade" (2 Pe 1.16).

Tim LaHaye e Thomas Ice afirmam:

Falsas religiões e idéias supersticiosas baseiam-se em fábulas engenhosamente inventadas, mas a fé cristã está fundamentada na auto-revelação do próprio Deus aos homens, da forma como a encontramos na Bíblia. Além disso, Pedro designa a profecia bíblica como "palavra profética" e diz: "...fazeis bem em atendê-la, como a uma candeia que brilha em lugar tenebroso..." (2 Pe 1.19). Por que podemos depositar toda a nossa confiança na palavra profética? Porque a profecia bíblica, segundo a conclusão de Pedro, não é a explicação humana dos acontecimentos históricos: "sabendo, primeiramente, isto: que nenhuma profecia da Escritura provém de particular elucidação; porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens [santos] falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo" (2 Pe 1.20-21). Tendo a profecia, os cristãos possuem um resumo do plano divino para o futuro. Além disso, como centenas de profecias já se cumpriram literalmente – a maioria delas relacionadas à primeira vinda de Cristo – sabemos que todas as promessas em relação ao futuro também se cumprirão integralmente nos tempos finais e por ocasião da volta de Cristo".[2]

Adivinhação e interpretação de sinais são baseados em mentiras, enquanto a profecia divina é a mais absoluta verdade. Balaão era um "agoureiro" (Nm 24.1) que Balaque, rei dos moabitas, queria usar para amaldiçoar Israel (Nm 23-24). E justamente esse adivinhador foi obrigado a reconhecer: "Deus não é homem, para que minta; nem filho de homem, para que se arrependa. Porventura, tendo ele prometido, não o fará? Ou, tendo falado, não o cumprirá?" (Nm 23.19).

A Bíblia contém 6.408 versículos com declarações proféticas, das quais 3.268 já se cumpriram. Não se sabe de nenhum caso em que uma profecia bíblica tivesse se cumprido de forma diferente da profetizada. Esses números equivalem à chance de que ao jogar-se 1.264 dados, todos caiam, sem exceção, com o número 6 para cima. Essa probabilidade é tão pequena que exclui toda e qualquer obra do acaso.[3]

Conforme o Dr. Roger Liebi, 330 profecias extremamente exatas e específicas referentes ao Messias sofredor se cumpriram literalmente por ocasião da primeira vinda de Cristo.

Dessa abundância de profecias relacionadas ao nascimento, à vida e à morte de Jesus, destacamos apenas o exemplo do Salmo 22.16-17: "...traspassaram-me as mãos e os pés. Posso contar todos os meus ossos..." Não há dúvida de que essa passagem fala da crucificação, pois o sofrimento descrito pelo salmista só acontece nesse tipo de morte. Entre os judeus a crucificação jamais foi uma forma de execução de condenados à morte e ainda não era conhecida quando o salmo foi escrito. Bem mais tarde os romanos copiaram dos cartagineses a pena de morte por crucificação. Portanto, seria muito mais lógico se o salmista tivesse descrito a morte por apedrejamento ou pela espada. Numa época tão remota (1000 a.C.), por que ele falou da morte pela cruz, completamente desconhecida dos judeus? A resposta é que o salmista, inspirado pelo Espírito de Deus, era um profeta e apontava a morte futura de Jesus.

A adivinhação cria confusão mental, turva a visão para a verdade bíblica e bloqueia a disposição das pessoas de crerem no Evangelho de Jesus Cristo. Ela embota seus sentidos, prendê-as a falsos ensinos e torna-as inseguras em suas decisões. A profecia divina, entretanto, liberta e dá segurança. Por isso todos deveriam seguir o conselho de Deus: "Eu o disse, eu também o cumprirei; tomei este propósito, também o executarei. Ouvi-me vós..." (Is 46.11b-12a).

Qualquer pessoa que crê em Jesus Cristo e confia sua vida a Ele tem um futuro seguro e não precisa ter medo de nada. Quem se entrega a Jesus passa a viver sob a bênção da profecia encontrada em João 14.3: "E, quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também".

Notas:
Idea Spektrum, 1/2 2004.
Tim LaHaye/Thomas Ice, Countdown zum Finale der Welt.
Factum, Edição Especial 1995

Norbert Lieth

Fonte: www.chamada.com.br

sábado, 22 de setembro de 2012

MITO DO FIM DO MUNDO NO CALENDÁRIO MAIA

Calendário Maia identifica o ano de 2012 como o fim de um grande ciclo

No dia 21 de dezembro de 2012 termina o calendário criado pela civilização maia. Não há registro sobre o que aconteceria depois, mas não faltam especulações. E arqueólogo afirma: "calendário não fala de fim do mundo"

Isabela AssumpçãoInternauta, São Paulo, SP
 
 

No centro de São Paulo, no coração da cidade, uma voz anuncia o juízo final: “vai haver terremotos em vários lugares, está acontecendo. A bíblia não fala que ano, mas fala que vai haver”, informa o pastor Edvaldo Silva.

Há 13 anos, o pastor repete a mesma pregação e ele tem certeza que o apocalipse vai chegar, só não sabe quando. “O Livro de Apocalipse fala das tragédias, mas não fala o dia nem a hora. Fala que as tragédias iam acontecer”, afirma.

Na cidade Canela, no Rio Grande do Sul, encontramos danças, rituais, meditação, uma vida simples, onde as pessoas plantam para comer. No local, um grupo se prepara para a chegada de uma nova era.
No Rio de Janeiro, as profecias do fim do mundo atraem crianças e adultos ao espetáculo multimídia. E o tema virou até brincadeira no carnaval de rua.

Mas, afinal, nossos dias estariam mesmo contados? Catástrofes, colapso da economia ou o simples encerramento de um ciclo: as teorias sobre o fim do mundo dividem opiniões e esbarram nas evidencias científicas. Até hoje, nenhuma previsão deu certo. Ainda assim, novas profecias decretam: o fim da humanidade está chegando.

Os místicos estão de olho no calendário. Faltariam 316 dias para uma data fatídica: 21 de dezembro de 2012. É exatamente nesse dia que termina o calendário criado pela civilização maia. Não há registro sobre o que aconteceria depois, mas não faltam especulações.

“Eu acredito que ele já vem acabando há bastante tempo”, declara uma senhora. “O mundo não vai se acabar, as pessoas vão se acabar”, comenta uma mulher. “Não tem nenhuma prova científica. O calendário maia é diferente do calendário cristão”, aponta um homem.

Uma civilização extremamente desenvolvida, os maias viviam no sul do México e em alguns países da América Central, entre o ano dois mil antes de cristo até o século 16.

“Os maias construíram cidades muito grandes para sua época, cidades maiores que as européias, por exemplo. Também tiveram um avançado sistema de escrita”, declara o historiador e arqueólogo Alexandre Navarro, da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Excelentes astrônomos, eles tinham vários calendários que funcionavam simultaneamente, como uma engrenagem. O ano 5126 corresponde a 2012 e marca o fim de um grande ciclo. “A única coisa que eles deixaram é que o calendário tem um início e tem um fim”, aponta o arqueólogo.

Em Tortuguero, no México, encontramos um registro misterioso: o fim do calendário, a volta de deuses a Terra. “Nesse monumento, existe uma inscrição que diz respeito à volta, ao retorno de algumas divindades maias, mas especificamente não fala de um fim de mundo”, declara Alexandre Navarro.
Através de lendas e profecias, 2012 se transformou em um ano mítico. Pegando carona nessa onda, Hollywood produziu um filme catástrofe, em que o Rio de Janeiro é uma das vítimas.

Mas a garotada não acredita muito nessa história. “Acho que é mentira, porque falaram que o mundo ia acabar muito antes disso e não acabou”, diz Gabriel Braga Pereira, de 9 anos. “Eu acho que é tudo uma farsa, porque só Deus sabe se o mundo vai acabar”, comenta Lucas Magalhães, de 11 anos.

Os jovens foram conferir o programa baseado em estudos científicos realizados no Planetário do Rio. Nele, não existem dúvidas: o mundo vai mesmo acabar, mas daqui a milhões e milhões de anos. “O fim do mundo é inexorável. Ele vai acontecer, mas não em uma escala humana. É outro tipo de tempo, é um tempo astronômico”, explica o astrônomo Alexandre Cherman.

Os maiores perigos viriam do espaço. A queda de um grande asteróide poderia por em risco o planeta. Há milhões de anos, foi essa a causa da extinção dos dinossauros. “Diferente dos dinossauros nós temos tecnologia para observar o céu”, declara Alexandre Cherman.

Por isso, os astrônomos estão de olho. Eles observam com atenção especial a rota do asteróide Apofhis. Em princípio, é o que tem mais chance de nos causar problemas. “Nós sabemos que, em 2029, ele vai passar perto da Terra. Não vai se chocar com a Terra, temos certeza. Mas com a proximidade que ele vai passar da Terra pode ser que a gravidade da Terra altere a órbita desse asteróide e, na próxima passada, já gere um risco maior. Seria em 2036, mas ainda assim não é uma coisa com que a gente precisa perder o sono”, aponta o astrônomo Alexandre Cherman.

FONTE: GLOBO REPORTER

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

EU PRECISO RECEBER O SENHOR

“Entrando Jesus em Cafarnaum, dirigiu-se a Ele um centurião, pedindo-lhe ajuda. E disse: “Senhor, meu servo está em casa, paralítico, e em terrível sofrimento”. Jesus lhe disse: “Eu irei curá-lo”. Respondeu o centurião: “Senhor, não mereço receber-te debaixo do meu teto. Mas dize apenas uma palavra e o meu servo será curado” (Mt. 8:5-8)



Neste texto, podemos ver um homem chegar a Jesus pedindo que Ele curasse seu servo porém, ao Jesus olhar para ele percebe que outras coisas precisavam ser tratadas e eram tão importantes quanto a cura que ele tinha vindo buscar. Percebemos um constrangimento do centurião, em relação a Jesus quando o Senhor afirma que ia curar o seu servo logo, ele revela que não era digno de recebê-lo em seu lar.

Muitas vezes estamos preocupados demais para resolver alguns assuntos e nem avaliamos que existem coisas em nossa vida que precisam ser resolvidas como: vícios, traumas, frustrações, solidão, etc.

Muitas pessoas desejam ser abençoadas, procuram encontrar no Senhor a realização de seus sonhos, algumas pessoas não precisam de bens materiais mas precisam de um milagre em seu corpo, ou em pessoas de sua família de um milagre em sua vida profissional, ou conjugal.

Como Jesus pode realizar todos os seus planos, se agirmos como o centurião?

Você quer receber aquilo que acha que precisa? Ou quer ser feliz?

Se você escolhe ser feliz, é necessário receber o Senhor Jesus em sua casa mesmo que para isso você precise se expor totalmente para Ele.

Jesus respondeu ao pedido do centurião, mas poderia ter feito muito mais por ele.

Talvez você tem cometido o mesmo erro, não queira somente a solução do problema atual, permita que Jesus possa resolver mais coisas. Com certeza, existem mais coisas para serem resolvidas.



Pr. Marlon Góes Cunha
 
fonte: Grupo Cristocentro3 - Google

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

ESQUENTANDO O CASAMENTO

Dicas para aquecer o casamento

Apresentamos algumas dicas que vão aquecer seu casamento. Experimente!


Deus, ao criar o casamento, pensou em uma união agradável onde os cônjuges experimentassem a plenitude da felicidade.

Não criou o casamento para ser um jugo, um fardo difícil de se carregar. Casamento se tornou um jugo quando o primeiro casal resolveu desobedecer a Deus (Gn 3).Que tipo de casamento você está construindo? Em que tipo de casamento você vive? Como podemos construir casamentos agradáveis?

Queremos dar algumas dicas.

1ª - Dê espaço para expressão da individualidade
Você não pode exigir que seu cônjuge goste das mesmas coisas que você gosta. Não exija do seu cônjuge que torça para o Flamengo, quando ele desde pequeno aprendeu a torcer pelo Botafogo. Se seu marido gosta de música de viola, não o force a gostar de bolero.


2ª - Releve certa coisas no outro
Para que ficar implicando a vida toda com seu marido porque por pequenas coisas? O mesmo se aplica aos maridos. “Briguem” por questões mais importantes. Não deixe que as questiúnculas tirem o brilho da vida conjugal.
Alguém já disse que antes de se casar você deveria abrir bem os olhos. Depois de casado, deveria mantê-los bem fechados.

3ª - Cuidado com a rotina
Sabe aquela coisa de sempre ir ao mesmo restaurante, fazer as mesmas coisas do mesmo jeito sempre? Pois é, para ter um casamento agradável, saia da rotina. O cotidiano não mata uma relação, mas a rotina sim. “Tente, invente, faça alguma coisa diferente”, já dizia a velha propaganda. Gaste um bom dinheiro no melhor restaurante da região. Você não vai ficar mais pobre com essa atitude.


4ª - Mantenham os olhos no seu cônjuge
Minha idéia não é ficar sempre vigiando seu marido ou esposa. Minha intenção é a seguinte: Não dirija seus olhos somente para os filhos. Um dia eles irão se casar ou sairão da sua casa para estudar numa outra cidade. Aí você não reconhecerá mais a mulher ou o homem que está ao seu lado. Crie seus filhos com amor, mas saiba que um dia eles irão “bater asas”.


5ª - Passeiem semanalmente
Qual foi a última vez que você passeou com seu cônjuge, como casal, sem a presença de outros casais e filhos? “Fala sério”, como dizem os cariocas.
Não há casamento que não se torne tolerável, onde marido e esposa não separam um tempinho para passear. Não precisa gastar nada. Pode ser aquela praia, aquela beira-rio, aquele parque municipal. O máximo que você poderá gastar é com uma água de coco.

Bem, aí estão algumas dicas. Agora tente colocá-las em prática. Você vai perceber que seu casamento dará uma aquecida.
Gilson Bifano

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

EVENTO PARA EVANGÉLICOS SOLTEIROS

Para muitos, fazer novas amizades está ao alcance de uma breve pesquisada em redes sociais.
 
Mas, para alguns membros de igrejas evangélicas, a melhor forma de conhecer possíveis pretendentes está mesmo nos encontros promovidos pelas igrejas, cada vez mais comuns pelo País.


Reportagem do iG esteve no último fim de semana em Cabo Frio, Região dos Lagos, acompanhando o Encontro de Solteiros, Divorciados e Viúvos, organizado pelo Ministério Oikos, organização que aglomera várias vertentes evangélicas. Caravanas de diversas partes do País se dirigiram na sexta-feira (14) ao local.
Das 280 pessoas presentes, quatro eram homens. Apenas quatro. O técnico de informática Marcelo Luis, do Rio, era um deles. “Não vim com o intuito de conhecer uma mulher para casar, mas para fazer novas amizades”, disse ele, divorciado, com o mesmo discurso que mais se ouviria naqueles dias. Luiz Cássio, empresário, 23 anos, talvez fosse considerado o “partidão” das presentes por ser o mais novo. Mas ele foi acompanhado da namorada, Fernanda Coller, de 25. E cobiçar homem da próxima também é pecado. Luiz e Fernanda estão de casamento marcado para o final de 2013. “Viemos ao encontro mais por curiosidade. Trouxe minha sogra junto. Ela é divorciada há muitos anos e não quis se casar de novo”, conta o empresário, de Fortaleza (CE).

Leia também: Culto dos virgens - “Se uma mulher bonita vier na sua direção atravesse a rua”

A taxa de participação era de R$ 140. Aos que preferissem incluir hotel, havia pacotes em torno de R$ 450 em quarto triplo. Durante três dias, atividades intensas indo de cultos às 9h da manhã a apresentações de marionetes no final da noite. A tentação, entretanto, estava ali do outro lado da avenida. Praia e sol. Somente o sábado à tarde estava livre para quem quisesse aproveitar a paisagem. Ninguém se aventurou em colocar biquíni. Nem mesmo maiô. No máximo, um passeio pelo calçadão. Sem a bíblia na mão. “Praia não é o lugar mais apropriado para estudos bíblicos. É muita gente, muito barulho”, explicava a enfermeira Janaina Paixão, de 39 anos.

Isabela Kassow
Janaina Paixão, enfermeira, 38, Cristiane Antoer, fisioterapeuta, 32, e Laysa Zampiroli, administradora, 25

Preconceito masculino
A professora Rosimare Rangel, 48, estava com as amigas Fidelina Souza, psicóloga, 49, e Ivana da Conceição, psicoterapeuta, 59. Das três, Fidelina é a única que nunca casou. As outras duas, divorciadas. O trio logo percebeu a discrepância de gêneros no encontro. “O que ocorre é preconceito por parte dos próprios homens, que não gostam de se expor. Mulher é mais comunicativa, mais sensível, gosta de estar com alguém e por isso sai mais”, diz Rosimere. As três eram, possivelmente, as mais simpáticas e sorridentes do grupo.

Isabela Kassow
Encontro de solteiros, divorciados e viúvos evangélicos

Pastor Gilson Bifano, um dos organizadores do evento, concorda que os homens temem mais a exposição. “É preciso que as igrejas façam um trabalho no sentido de quebrar este tabu entre os fieis do sexo masculino”, diz. Para ele, encontros como este vêm acalentar uma considerável parcela da sociedade que não vinha sendo representada e tendo voz nas igrejas, incluindo as católicas. “Muito se fala dos valores da família, na estrutura e na importância de uma sólida base familiar... na relação de pai, mãe e filhos. Mas e os fieis que preferiram não se casar? E os solteiros que são felizes por serem sozinhos? Ou os divorciados que, por trauma ou opção pessoal, não querem tentar um segundo casamento? Ou ainda os viúvos, que estão na mesma solidão? A igreja precisa abraçar a todos”, defende Bifano. Solteira, a carioca Elenice Eliotério adorou a iniciativa. “A gente se sente mutilado por não ter família”, conta a cabeleireira que, garante, não estava ali para arrumar pretendente. “Conheci uma pessoa há duas semanas, estamos nos conhecendo. Se não fosse isso, talvez o meu intuito aqui fosse outro. Mas nem tem para quem olhar...”, continua.
Para Bifano, há uma distorção da imagem que se faz do evangélico na sociedade. Não sobra nem para a novela-sensação do momento, “Avenida Brasil”, mais precisamente por causa de Dolores Neiva, vulgo Soninha Catatau,a personagem de Paula Burlamaqui, uma ex-atriz pornô que se tornou evangélica. “Falamos muito para que tenham cuidado com o que veem na televisão. Nem sempre isso corresponde à realidade. Esta novela não condiz com o que somos de fato. Não vejo, não gosto”, diz.

Isabela Kassow
Encontro reúne fieis de diferentes denominações evangélicas de todo o Brasil

“Solteiros Anônimos”
No Encontro de Solteiros, Divorciados e Viúvos de Cabo Frio, poucos são os que têm menos de trinta anos. “Somos quase uma espécie de S.A. Você não sabe o que é S.A.? É igual os N.A. (Narcóticos Anônimos), só que aqui se chama Solteiros Anônimos”, disse uma fiel fazendo graça de seu eterno estado civil. Nem todas quiseram ser identificadas. Algumas com vergonha da colocação de “solteira”, outras por não terem contado aos parentes que iriam ao encontro naquele final de semana. “Pedi dispensa no trabalho alegando que iria para um casamento em Minas. Por favor, não me fotografe. Podem me chamar de solteirona, e eu não vou gostar”. Pedido atendido.
Só não foi atendida, até agora, sua prece para desencalhar. “Quero um homem parceiro, fiel, que respeite as doutrinas da minha igreja, que não beba, que não fume, que goste de ir ao cinema... Se nada disso for possível, que ele seja ao menos evangélico”, conta.
Pastor Gilson Bifano defende o trabalho de igrejas como a que, na zona sul do Rio, separa homens e mulheres , para formar “príncipes” e “princesas”. “É um trabalho feito já com os jovens, desde cedo”, diz. “Sou a favor da pureza sexual, assim como da posição bíblica da heterossexualidade. Sei que já tem igreja evangélica que prega o contrário, mas seguimos a bíblia, que está acima de qualquer constituição. Aqui os valores são da monogamia e do companheirismo. Sexo foi criado por Deus no contexto do casamento, para gerar filhos. Fora disso, não vejo por que manter relação”, continua, categórico.
Se o pastor acredita que todas aquelas pessoas presentes ao encontro seguem à risca este propósito? “Conscientizamos para que sigam isso, mas não há como fiscalizar, né?”, pondera. Para afastar a tentação da carne, ele sugere a substituição do sexo pelo trabalho social voluntário. “Sexo é necessidade, mas não é essencial do ponto de vista biológico. Dá para se canalizar a libido para outras formas de atividade”, propõe.

Isabela Kassow
Algumas fieis reclamaram da falta de evangélicos homens

Príncipe evangélico
Começa o culto. O pastor pede que se abrace o “irmão” ao seu lado. Os cinco homens presentes no recinto (incluindo o repórter), ganham vários abraços. O músico João Alexandre, de violão no altar improvisado no salão de reuniões do hotel, dá o tom da noite. “É uma hemorragia de satisfação inoxidável estar aqui. É um encontro diferente, cheio da graça de Deus”, diz.
Luciana Dantas, autônoma, discorda que este seja mesmo um encontro diferente. Com a propriedade de estar no encontro pela terceira vez, diz que a falta de homens é uma constante. Nunca se casou, mas não perde as esperanças. Ainda que sinta a dificuldade. “Falta príncipe evangélico no mercado. Quando aparece um, é velho e só quer garotinha de 20 anos”, lamenta ela, aos 41 anos.
No intervalo, várias pessoas compram livros de editoras evangélicas, dispostos no fundo do auditório. Entre os títulos mais procurados, “As 5 linguagens do amor para solteiros”, “Transforme seu filho até sexta-feira”, “Reconstrua sua vida”. No sábado à noite, enquanto o culto segue animado, alguns fiéis debandam para o hall do hotel. Sentam-se no sofá de frente para a TV, que exibe capítulo de “Avenida Brasil”. Num canto, o técnico de informática Marcelo Luis conversa animadamente por horas com a bancária Graziele Acosta, repleta de sorrisos. “Estamos fazendo amizade. Não vai escrever nada além disso”, pede ele.
Com exceção do rapaz que já chegou acompanhado e de Marcelo Luis, os outros dois únicos homens do encontro, apesar de tanta opção, terminam a noite sozinhos. “Vim para melhorar a espiritualidade”, diz um deles. Ambos pediram para não serem identificados. O pastor Bifano defende que o evento alcança seus propósitos mesmo com baixíssimo quorum masculino. “Esse negócio de namoro, de encontrar a cara metade, pode ser uma consequência, mas não é o objetivo real de estarmos aqui. As pessoas vêm para estreitar laços com a igreja e fazer amizades”, diz. Outro pastor, Jeremias Pereira, de Belo Horizonte, completa. “Não existe amor à primeira vista nem indo ao oculista. Amor é cultivo, é aprendizado diário”.
O próximo Encontro de Solteiros, Divorciados e Viúvos só vai ocorrer em novembro de 2013. Até lá, para as evangélicas carentes, o melhor mesmo é não faltar aos cultos.

Isabela Kassow
Luiz Cássio, 23, e namorada, Fernanda Coller, 25. Casal antes mesmo do encontro em Cabo Frio
 
 
VEJA MAIS FOTOS EM
 
 
 
FONTE: IG BRASIL
 
 

CURA PARA A DEPRESSÃO

“O rei Acabe contou à sua esposa Jezabel tudo o que Elias havia feito e como havia matado à espada todos os profetas do deus Baal. Aí ela mandou um mensageiro a Elias com o seguinte recado: — Que os deuses me matem, se até amanhã a esta hora eu não fizer com você o mesmo que você fez com os profetas! Elias ficou com medo e, para salvar a vida, fugiu com o seu ajudante para a cidade de Berseba, que ficava na região de Judá. Deixou ali o seu ajudante e foi para o deserto, andando um dia inteiro. Aí parou, sentou-se na sombra de uma árvore e teve vontade de morrer. Então orou assim: — Já chega, ó SENHOR Deus! Acaba agora com a minha vida! Eu sou um fracasso, como foram os meus antepassados” (1 Reis 1-4 NTLH).

A Organização Mundial de Saúde aponta a depressão como a quarta enfermidade mais comum do planeta. Calcula-se que 121 milhões de pessoas sofrem de depressão.
Estima-se que 6% a 8% dos brasileiros adultos têm esta doença, o que corresponde a 10 milhões de pessoas. 60% são mulheres e 40% homens.

A OMS usou a mesma metodologia para avaliar as 18 nações pesquisadas, que foram divididas de acordo com sua economia. Os de alta renda estudados são Bélgica, França, Alemanha, Israel, Itália, Japão, Holanda, Nova Zelândia, Espanha e Estados Unidos. Os de baixa e média são Colômbia, Índia, China, Líbano, México, África do Sul, Ucrânia e Brasil – com dados apenas da cidade de São Paulo.

Nos países mais ricos, os jovens apresentam mais chances de desenvolver a doença, já entre os de média e baixa renda, o risco aumenta com a idade. Nas nações de alta renda, o principal motivo que desencadeia o problema é a separação do parceiro. Entre os mais pobres, os motivos são divórcio ou viuvez. Independentemente da faixa de renda, as mulheres são as que mais sofrem com o mal: elas têm duas vezes mais chance de desenvolver a doença do que os homens, de acordo com a pesquisa. O estudo foi publicado na terça-feira, 27 de julho, no BMC Medicine .
 
 
 
O QUE É DEPRESSÃO?
 
É quando a tristeza toma proporções muito maiores que impedem a pessoa de manter o estilo de vida do cotidiano. É uma doença que compromete seu corpo, humor e pensamento.
“Os sinais de depressão incluem tristeza, apatia e inércia, perda de energia e fadiga, normalmente acompanhadas de insônia; pessimismo; desesperança; medo; autoconceito negativo; sentimentos de culpa, vergonha, senso de indignidade e desamparo; perda de interesse no trabalho, sexo e atividades usuais, perda de espontaneidade; dificuldade de concentração; incapacidade de apreciar acontecimentos ou atividades agradáveis; e frequentemente perda de apetite” (Gary R. Collins – É presidente da American Association of Christian Counselors e editor da Christian Counseling Today. Psicólogo clínico, foi professor de psicologia na Trinity Evangelical Divinity Chiou por vinte anos, além de ter escrito mais de quarenta livros).



Mesmo sendo servos de Deus, e pessoa de fé, podemos ser atacados pela depressão. Veja alguns exemplos:

“Por que não nasci morto? Por que não morri ao nascer?” (Jó 3.11)
Moisés
“Se assim me tratas, mata-me de uma vez, eu te peço, se tenho achado favor aos teus olhos; e não me deixes ver a minha miséria”.(Nm 11.15)
Noemi
“ Porém ela respondia: — Não me chamem de Noemi, a Feliz. Chamem de Mara, a Amargurada, porque o Deus Todo-Poderoso me deu muita amargura”. (Rt 1.20).
Davi
“Por que estás abatida, ó minha alma? Por que te perturbas dentro de mim?” (Sl 42.5)
Jonas
“Agora, ó SENHOR, acaba com a minha vida porque para mim é melhor morrer do que viver”. (Jn 4.3)
JESUS
“e disse a eles: — A tristeza que estou sentindo é tão grande, que é capaz de me matar”. (Mt 26.38)
 
 
QUAIS AS CAUSAS DA DEPRESSÃO?
 
1- Pré disposição genética;
2- Tipo de personalidade;
3- Vivência de situações frustrantes ou traumatizantes;
4- Uso de determinados medicamentos;
5- Excesso de trabalho;
6- Crise existencial;
7- Problemas espirituais.
 
 
Quais as causas da depressão de Elias?
 
2.1 Cansaço físico
“E a mão do Senhor estava sobre Elias, o qual cingiu os lombos, e veio correndo perante Acabe, até a entrada de Jezreel”.(1 Rs18.46)
2.2 Carência de simpatia
“Eu fiquei só”(1Rs 19.14)
2.3 Carência de ocupação
“Basta; toma agora, ó Senhor, a minha alma, pois não sou melhor do que meus pais”.(1 Rs 19.4)
2.4 Expectativas frustradas
“Acabe fez saber a Jezabel tudo quanto Elias havia feito e como matara todos os profetas à espada. Então, Jezabel mandou um mensageiro a Elias a dizer-lhe: Façam-me os deuses como lhes aprouver se amanhã a estas horas não fizer eu à tua vida como fizeste a cada um deles”.(1Rs 19.1)
 
 
O TRATAMENTO QUE DEUS APLICOU À DEPRESSÃO DE ELIAS
 
3.1 Tratamento físico
“Deitou-se e dormiu debaixo do zimbro; eis que um anjo o tocou e lhe disse: Levanta-te e come. Olhou ele e viu, junto à cabeceira, um pão cozido sobre pedras em brasa e uma botija de água. Comeu, bebeu e tornou a dormir. Voltou segunda vez o anjo do Senhor, tocou-o e lhe disse: Levanta-te e come, porque o caminho te será sobremodo longo. Levantou-se, pois, comeu e bebeu; e, com a força daquela comida, caminhou quarenta dias e quarenta noites até Horebe, o monte de Deus” (1 Rs 19.5-8).
3.2 Desabafo
“Ele respondeu: Tenho sido zeloso pelo Senhor, Deus dos Exércitos, porque os filhos de Israel deixaram a tua aliança, derribaram os teus altares e mataram os teus profetas à espada; e eu fiquei só, e procuram tirar-me a vida”.(1 Rs 19.10)
3.3 Mudança de ambiente
“Levantou-se, pois, comeu e bebeu; e, com a força daquela comida, caminhou quarenta dias e quarenta noites até Horebe, o monte de Deus”.(1Rs 19.8)
3.4 Retorno à autoridade
“Ali, entrou numa caverna, onde passou a noite; e eis que lhe veio a palavra do Senhor e lhe disse: Que fazes aqui, Elias?”(1Rs 19.9)
3.5 Conforto e encorajamento
“Também conservei em Israel sete mil, todos os joelhos que não se dobraram a Baal, e toda boca que o não beijou”. (1Rs 19.18).
3.6 Terapia ocupacional
“Disse-lhe o Senhor: Vai, volta ao teu caminho para o deserto de Damasco e, em chegando lá, unge a Hazael rei sobre a Síria. A Jeú, filho de Ninsi, ungirás rei sobre Israel e também Eliseu, filho de Safate, de Abel-Meolá, ungirás profeta em teu lugar. Quem escapar à espada de Hazael, Jeú o matará; quem escapar à espada de Jeú, Eliseu o matará”.(1Rs 19.15-17)
3.7 Poder de Deus
“Disse-lhe Deus: Sai e põe-te neste monte perante o Senhor. Eis que passava o Senhor; e um grande e forte vento fendia os montes e despedaçava as penhas diante do Senhor, porém o Senhor não estava no vento; depois do vento, um terremoto, mas o Senhor não estava no terremoto; depois do terremoto, um fogo, mas o Senhor não estava no fogo; e, depois do fogo, um cicio tranqüilo e suave” .(1Rs 19.11-12)
 
 
CONCLUSÃO
 
A depressão deve ser vista como uma enfermidade física e também espiritual.
O mais forte e santo e fiel sobre a terra está sujeito a momentos de desânimo e depressão.
Elias era um herói da fé, mas também um “vaso de barro”.
Seja qual for o momento mais difícil de sua vida, lembre-se: Deus está contigo, confortando, alimentando, e curando sua alma.
 
Pra. Márcia Dantas S. Cunha
 
fonte: Grupo Cristocentro3 - Google

terça-feira, 18 de setembro de 2012

REGENERAÇÃO



A natureza da Regeneração

Uma transformação instantânea do ser humano o afeta por completo.


A palavra regeneração (palingenesia, palin, de novo e gênesis, de começo – novo começo) em toda a Bíblia só aparece duas vezes, a primeira em Mateus 19.28 referindo-se à vindoura renovação do cosmos no fim das épocas (At 3.21); a segunda em Tito 3.5, onde Paulo faz referência a Deus nos salvando “mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo”. Aqui está em foco de maneira clara a vivificação espiritual do crente, o que nos interessa no momento.
Com respeito a este renascimento, diferente de palingenesia, outras palavras expressam a mesma realidade:
• Genao, Anothen, Anagennao, significam criar ou recriar, produzir ou dar a luz – Jo 1.13: “Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade homem, mas de Deus”. Em outras referências temos a mesma idéia: Jo 3.3−8; 1 Jo 2.29; 3.9; 4.7; 5.1; 1 Pe 1.23.
• Apokueo significa gerar ou produzir – Tg 1.18: “Segundo o seu querer, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como que primícias das criaturas”.
• Ktizo significa criar – Ef 2.10: “Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para as boas obras...”.
• Suzzoopoieo significa dar a vida com ou vivificar com – Cl 2.13; Ef 2.5: “Estando nós mortos em delitos, nos deu vida juntamente com Cristo...”.

Em relação à natureza da regeneração, assim se pronunciou Wayne Grudem em sua Teologia Sistemática: “O que ocorre na regeneração de forma exata é um mistério para nós” (Vida Nova, 1999, p. 585). No mesmo pensamento Anthony Hoekema em Salvos Pela Graça, disse: “A regeneração é profundamente misteriosa” (Cultura Cristã, 1997, p. 107). É certo que estes teólogos tinham em mente o capítulo três do evangelho de João e, em especial o versículo oito: “O vento sopra onde quer, ouves a sua voz, mas não se sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito”.

Em seu diálogo com o religioso Nicodemos, Jesus lhe ensinou muito bem acerca do novo nascimento e de quem o opera. Para isso usou como ilustração o vento. Dizer que “o vento sopra onde quer”, é lhe atribuir soberania. “Ouves a sua voz”, podemos ouvir e ver o toque do vento nas árvores, águas e dunas, mas não podemos entendê-lo. Há algo de misterioso em torno do vento. Não podemos sondá-lo, nem agarrá-lo, mas podemos observar e sentir os seus resultados. “Assim é todo aquele que é nascido do Espírito”. Jesus estava ensinando a Nicodemos que ao executar o novo nascimento, o Espírito Santo o executa de maneira soberana e misteriosa. O nascimento é do alto, de Deus. Assim como o vento em todo o seu mistério sopra onde quer, o Espírito Santo misteriosamente vivifica aqueles que estão mortos segundo sua livre vontade. Esta é a mensagem do evangelho. Sabemos que de algum modo nós que estávamos espiritualmente mortos (Ef 2.1), fomos vivificados por Deus e passamos a ser novas criaturas (2Co 5.17), não gradualmente, mas instantaneamente. Agora, não devemos mais viver na prática do pecado (1 Jo 3.9); cremos que Jesus é o filho de Deus (1 Jo 4.1), portanto, podemos vencer o mundo (1 Jo 4.4).

Em termos negativos, regeneração não significa uma mudança ocorrida na substância da natureza humana. No Novo Testamento não existe introdução de algo real, substancial. A regeneração não é algo físico; não significa adição ou subtração às faculdades da alma que são: mente, memória, afeto, vontade e consciência. Não significa apenas reforma moral. Presos podem ser moralmente reformados e ainda continuarem sem o novo nascimento. Não significa também que o homem se torne um semideus, divino. A regeneração significa segundo Martin Lloyd Jones em seu livro, Deus O Espírito Santo “a implantação de um princípio de nova vida espiritual e uma mudança na disposição governante da alma” (PES, 1997, p. 103). Louis Berkhof em sua Teologia Sistemática também vê a natureza da regeneração desta mesma forma:
Implantação do princípio da nova vida espiritual no homem, numa radical mudança da disposição dominante da alma, que, sob a influência do Espírito Santo, dá nascimento a uma nova vida que se move em direção a Deus. Esta mudança afeta o homem por completo: o intelecto, 1 Co 2.14,15; 2 Co 4.6; Ef 1.18; Cl 3.10; a vontade, Sl 110.3; Fl 2.13; 2 Ts 3.5; Hb 13.21; e os sentimentos ou emoções, Sl 42.1,2; Mt 5.4; 1 Pe 1.8 (Cultura Cristã, 2001, p. 432).

Devemos entender que a regeneração como uma transformação instantânea do ser humano o afeta por completo. Não é dizer que, por exemplo, o intelecto do homem depois de regenerado passa a ser maior do que antes, ou mesmo, passa a ser mais afetuoso. Não é isso. O seu intelecto e afeto continuam sendo os mesmos; apenas com uma crucial diferença: a sua disposição, que está por trás das faculdades, mudou. Agora, o indivíduo que odiava o evangelho, não o odeia mais; que resistia ao Espírito Santo, não lhe resiste mais; que ficava longe da igreja, não fica mais; que fazia de tudo para não ouvir falar de cristianismo, agora faz gosto em ouvir sobre o seu Salvador. Isto é regeneração. Isto é novo nascimento.


Vilmar Rodrigues Nascimento

Fonte: www.icrvb.com

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

A CASA É LUGAR DE CURA

Marcos 1:29-34
“29 E logo, saindo da sinagoga, foram à casa de Simão e de André com Tiago e João.
30 E a sogra de Simão estava deitada com febre; e logo lhe falaram dela.
31 Então, chegando-se a ela, tomou-a pela mão, e levantou-a; e imediatamente a febre a deixou, e servia-os.
32 E, tendo chegado a tarde, quando já se estava pondo o sol, trouxeram-lhe todos os que se achavam enfermos, e os endemoninhados.
33 E toda a cidade se ajuntou à porta.
34 E curou muitos que se achavam enfermos de diversas enfermidades, e expulsou muitos demônios, porém não deixava falar os demônios, porque o conheciam.


A palavra de Deus nos ensina que a casa é lugar de cura.
O Senhor Jesus foi à casa de Pedro, Ele gostava de estar nas casas das pessoas.
Ao chegar à casa de Pedro sua sogra estava enferma e Jesus a tomou pela mão e curou a sogra de Pedro.
No capitulo2 abaixo também fala de Jesus em casa abençoando pessoas enfermas leia.


Marcos 2:1-12
1 E alguns dias depois entrou outra vez em Cafarnaum, e soube-se que estava em casa.
2 E logo se ajuntaram tantos, que nem ainda nos lugares junto à porta cabiam; e anunciava-lhes a palavra.
3 E vieram ter com ele conduzindo um paralítico, trazido por quatro.
4 E, não podendo aproximar-se dele, por causa da multidão, descobriram o telhado onde estava, e, fazendo um buraco, baixaram o leito em que jazia o paralítico.
5 E Jesus, vendo a fé deles, disse ao paralítico: Filho, perdoados estão os teus pecados.
6 E estavam ali assentados alguns dos escribas, que arrazoavam em seus corações, dizendo:
7 Por que diz este assim blasfêmias? Quem pode perdoar pecados, senão Deus?
8 E Jesus, conhecendo logo em seu espírito que assim arrazoavam entre si, lhes disse: Por que arrazoais sobre estas coisas em vossos corações?
9 Qual é mais fácil? dizer ao paralítico: Estão perdoados os teus pecados; ou dizer-lhe: Levanta-te, e toma o teu leito, e anda?
10 Ora, para que saibais que o Filho do homem tem na terra poder para perdoar pecados (disse ao paralítico),
11 A ti te digo: Levanta-te, toma o teu leito, e vai para tua casa.
12 E levantou-se e, tomando logo o leito, saiu em presença de todos, de sorte que todos se admiraram e glorificaram a Deus, dizendo: Nunca tal vimos.
 
Se for perguntado para você tem alguém enfermo em casa?
 
Talvez responda, não, se não houvesse ninguém enfermo não estaríamos aqui.
Se algum momento da sua vida você estiver curado ou sem nenhum problema você não estará mais aqui porque o Senhor ter-lhe-ia levado.
Uma pessoa totalmente limpa sem problemas e dificuldades somente na presença de Deus.
Fora disso passamos por enfermidades, problemas, dificuldades financeiras e lutas, etc.
Nossa passagem por aqui é um tempo de cura, vida é um processo de cura.
Estamos sendo curado a cada dia.
 
Você poderia levantar uma placa dizendo: Eu sou uma obra inacabada.
Você esta sendo cuidado em todos os detalhes da vida.
Pode dizer sou um saradão, mas existem áreas da sua vida que precisa de cura e ajuda.
Não há ninguém que possa dizer eu não tenho nenhum problema.
 
Na sua casa sim, precisa ter cura.
 
Na tua casa existem pessoas que precisam ser curadas.
Umas mais outras menos mais existem pessoas que precisam ser abençoadas.
O texto diz que Jesus vendo aqueles amigos que desciam com o paralitico o Senhor ficou admirado e diz algumas palavras aqueles quatros amigos.
 
Que fé vocês tem.
Ele não estava olhando para o paralítico, mas Jesus estava olhando para os amigos dos paralíticos.
Primeiro ensinamento do texto, fé que é expressa por ações.
 
A fé não é uma coisa da boca para fora, fé é ação.
Aqueles quatros amigos mostraram fé quando encontraram dificuldades e procuraram uma forma de entrar na casa.
Eles tinham fé que Jesus poderia curar o seu amigo paralítico.
A fé foi manifestada quando descobriram que só podiam entrar pelo telhado, a fé manifestada quando descem o paralitico não tinha nada que poderiam detê-los pois tinha fé.
Tentem imaginar o cenário daquele dia, quantas dificuldades esses amigos teriam enfrentado a multidão que os impediam de avançar, subir em uma casa com um paralítico em seu leito.
Você já subiu no telhado de sua casa? Tamanha é o desconforto, e insegurança que sentimos, o medo de cair, veja só que Fé com ação.
Era isso que Jesus estava dizendo que maravilha de Fé que vocês têm.
É isso que Deus quer de nós que tenhamos fé com ação.
 
Que sua fé seja manifestada com atitudes e ação.
Não tenha fé somente na mente, da boca para fora.
 
Chorar não é fé, é um sentimento de perda, podemos chorar isso faz muito bem, mas devemos aprender que é emoção.
A Fé é correr atrás, é o olhar as dificuldades e fazer algo.
O Senhor Jesus estava admirado da fé daqueles quatro amigos.
Que benção esse paralítico ter quatro amigos como esses cheios de fé e atitude.
Queira ter amigos de fé, que tem atitudes, e ações para lhe abençoar.
 
Seus amigos são de Fé ou de emoção?
 
A Fé é a coragem de fazer.
A Fé não são palavras de chavão.
A Fé é o que eu vou fazer e que atitude terá para te abençoar.
Tenha atitudes de Fé.
Fé não é vou ficar no meu cantinho, e dizer que fé que eu tenho.
A Fé é ação, é atitude.
E o Senhor olha e vê atitude e ação daqueles amigos.
Qual é o tamanho da tua fé? Da para medir tua fé?
 
Como medimos a nossa fé?
O tamanho da tua fé é o tamanho da tua atitude.



Deus te abençoe!

Reserve um tempo para ele, e seja abençoado!

Deus te deu 24 horas no dia, então repasse essa mensagem para outras pessoas.
Vamos semear!

Culto: Pastor Jonas Góes

Ministério de Comunicação e Internet
>> Professor Gava<<
fonte: Grupo Cristocentro3 - Google